Na última sexta-feira, 12, um “ataque hacker” de proporções preocupantes atingiu diversas companhias de infraestrutura da Europa, com destaque para a Espanha, mas também afetou empresas dezenas de países, ainda que em menor grau. No Brasil, um bom exemplo é Telefónica-Vivo, que depende da infraestrutura holding espanhola ― onde 85% dos computadores foram afetados.

Em essência, trata-se de um mega ataque ransomware ― modalidade de ataque digital em que os cibercriminosos pedem resgate (neste caso específico, o valor é de 300 bitcoins por máquina) para liberar os sistemas bloqueados, sob pena de apagar definitivamente os dados criptografados (o pagamento deve ser feito até o próximo dia 19).

O software usado no ataque ― uma versão do ransomware WannaCrypt ― se aproveita de vulnerabilidades no Windows e é executado remotamente. A Microsoft liberou uma correção de emergência no Microsoft Security Advisory e recomenda aos usuários a pronta atualização de seus sistemas.

O ataque assumiu proporções tamanhas que a Intel publicou uma página onde se pode acompanhar em tempo real a disseminação da praga. Ainda não se sabe que são os autores do ataque, mas a imprensa internacional já divulgou que eles teriam relacionamentos com a China.

Fonte: Canaltech