Deixar de criar ao menos uma segunda partição em HDDs que chegam a oferecer até 6 TB de espaço é um despropósito. No entanto, conforme eu adiantei na postagem anterior, as encarnações mais recentes do Windows permitem particionar a unidade de armazenamento persistente de dados (HDD ou SSD) com o sistema já instalado e o uso de ferramentas nativas, conquanto seja mais fazê-lo com aplicativos de terceiros.

Supondo que o fabricante do seu PC (ou quem quer que tenha instalado o sistema operacional) não tomou essa saudável providência em tempo hábil, e você quer fazê-lo agora, mas reinstalar o Windows não está nos seus planos, não deixe de ler atentamente o que será explicado nesta postagem e nas próximas. Sem mais delongas, passemos ao tutorial.

Primeiramente, você deverá submeter seu drive a uma série de procedimentos “pré-operatórios”, começando pela desinstalação dos aplicativos inúteis ou raramente utilizados. O desinstalador que acompanha o Windows desde os tempos de antanho ― e que, no Windows 10, você pode acessar abrindo o menu Iniciar e clicando em Configurações > Aplicativos > Aplicativos e recursos ― costuma ser apenas um “atalho” para o desinstalador nativo do próprio aplicativo, de modo que você obterá melhores resultados se usar o Revo Uninstaller ou o IObit Uninstaller (ambos fazem uma varredura profunda e eliminam a maior parte das sobras que o desinstalador nativo costuma deixar para trás).

Removidos os apps desnecessários, abra a pasta Computador, dê um clique direito no ícone correspondente à sua unidade de sistema ― geralmente C: (*), selecione Propriedades e analise o gráfico em forma de pizza para ver a proporção entre o espaço ocupado e o espaço livre no disco. CONTINUE LENDO EM  http://fernandomelis.blogspot.com.br/2017/12/como-desafogar-o-sistema-operacional_7.html