Diferentemente dos relógios de pulso fabricados até os anos 60/70, os modelos atuais são, em sua maioria, resistentes à água (water resist). Isso significa que você pode lavar as mãos ou tomar uma chuva moderada sem danificá-los, mas para tomar banho, nadar, ou mesmo lavar o carro, só mesmo se o relógio for à prova d'água (water proof).

A informação sobre a impermeabilidade dos relógios vem gravada no fundo da caixa (tampa) e, em alguns modelos, também no mostrador. Por uma questão de marketing, no entanto, os fabricantes “carregam nas tintas”. Relógios identificados como WR 30M (ou 100ft, ou 3ATM) não são indicados para natação ou imersão durante longos períodos. Em outras palavras, embora essa classificação sugira capacidade de resistir à pressão em profundidades de até 30 metros, você deve evitar usá-los durante banhos de imersão ou mesmo quando for lavar o carro ou o cachorro. Modelos que você pode molhar sem medo, mas sem abuso (tipo mergulho com tanque de ar) são identificados como resistentes a 50M, 165ft ou 5ATM e superiores. 

ObservaçãoNa água, a pressão aumenta à razão de uma atmosfera a cada 10 metros de profundidade; quanto maior a pressão, maior o risco de o líquido penetrar pela junção do vidro com a caixa, pelo retentor da tige (“eixo” da coroa) ou pela tampa traseira do relógio. Veja detalhes sobre estanqueidade na tabela que ilustra esta postagem.

Para praticar esportes aquáticos (nadar ou mergulhar sem tanque de ar), invista num modelo WR 100m (ou 300ft, ou 10ATM), de preferência com coroa rosqueada. Não há problema em tomar banho de chuveiro ou banheira com um relógio desses no pulso, mas convém evitar mergulhá-lo em água muito quente. Sauna, então, nem pensar, pois a diferença de temperatura entre o ambiente e o ar no interior da caixa produz condensação (formação de gotículas) e pode danificar o mecanismo, especialmente em modelos alimentados por bateria.  

Mesmo os modelos indicados para mergulho não estão livres dos efeitos da água salgada. O oxigênio presente nas moléculas de água propicia a oxidação do metal, e o sal acelera ainda mais esse processo. Ainda que a caixa do relógio seja de aço inoxidável, ouro ou outro metal nobre, fechos e pinos da pulseira não são, e, portanto, estão sujeitos à corrosão.

Amanhã a gente conclui (ou pelo menos é o que eu espero).