Pensei em ficar “na encolha” nesta terça-feira gorda, mas resolvi publicar umas discas sobre a ressaca, já que, como o Réveillon, o Carnaval estimula o consumo exagerado de bebidas alcoólicas. Só que o reinado de Momo dura quase uma semana ― contra uma única noite da “virada” de ano ―, e o revertério costuma ser de lascar, com direito a dor de cabeça, boca seca, língua saburrosa, corpo dolorido, fadiga, tremores e outros desconfortos que a gente pode evitar simplesmente não enchendo a cara. Como é mais fácil falar do que fazer:

Evite misturar destilados com fermentados ou beber de barriga vazia (o álcool é absorvido mais lentamente quando há alimento no estômago, mas comer exageradamente antes de beber pode levar o incauto a colocar tudo para fora no meio da festa).

Ingerir algo gorduroso (como miolo de pão besuntado com manteiga ou embebido em azeite) antes de beber também ajuda, da mesma forma que comer frutas ou tomar sucos, refrigerantes ou água entre as biritas ― manter o organismo hidratado reduz a concentração do álcool.

Se as medidas profiláticas não foram suficientes, caro leitor (ou cara leitora), a ressaca irá castigá-lo(a) no dia seguinte, e, a menos que você esteja em Vegas... CONTINUE LENDO EM http://fernandomelis.blogspot.com.br/2018/02/mas-e-carnaval.html