O MEGA ATAQUE RANSOMWARE deflagrado na última sexta-feira continua dando pano pra manga (veja mais detalhes nesta postagem).

Fala-se que o exploit que deu margem a esse imbróglio teria sido roubado da NSA (agência de segurança nacional americana), não se sabe se por russos ou por norte-coreanos, mas é certo que, até ontem, haviam sido contabilizadas mais de 200 mil vítimas em 150 países.

Do ponto de vista dos usuários, mais importante do que descobrir os culpados, ao menos é evitar que o computador corra o risco de ser alvo de essa praga, e para tanto é imperativo atualizar o sistema operacional e manter up-to-date o arsenal de segurança (antivírus, firewall, antispyware, etc.).

Embora o problema afete o Windows, a edição XP, que deixou de ser suportada pela Microsoft em abril de 2014, parece ser a mais visada. No entanto, como cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém, mesmo quem usa o Windows Vista, 7, 8.1 deve pôr as barbichas de molho. Não ficou bem claro se o Windows 10 também é vulnerável, mas a Microsoft disponibilizou a atualização que fecha a brecha explorada pelo WannaCrypt em março passado, bem como criou e liberou, em caráter extraordinário, uma correção focada no XP. Até onde se sabe, quem utiliza máquinas da Apple com sistema operacional Mac OS não tem com que se preocupar).

Para obter mais detalhes a partir da página da Microsoft, clique aqui.