Embora a infeção por malwares se dê mais comumente através de emails, programas mensageiros, redes sociais e assemelhados, essas pragas costumam se valer também dos diligentes pendrives como veículo de transporte. Em outras palavras, você pode infectar seu sistema simplesmente espetando um “chaveirinho de memória” no seu PC depois de tê-lo plugando num computador contaminado.

O pendrive é atualmente o que o disquete foi até meados da década passada, ou seja, a maneira mais simples, prática e barata de armazenar e/ou transportar arquivos digitais. No entanto, como seus predecessores dos anos 80 e 90, os diligentes “chaveirinhos de memória” são usados pela bandidagem digital para espalhar códigos maliciosos, já que se tornaram muito populares por substituir com vantagens as mídias ópticas (CD, DVD, Blu-Ray) no armazenamento de backups, instalação de aplicativos, reprodução de música e vídeo, etc.

Os programinhas maliciosos tanto podem agir sobre o sistema operacional e os arquivos do seu computador quanto modificar, apagar ou tornar inacessíveis os documentos/programa armazenados na própria mídia removível ― conforme os propósitos e modus operandi definidos pelo criador da praga. Felizmente, há como minimizar os riscos de infeção... CONTINUE LENDO EM http://fernandomelis.blogspot.com.br/2018/02/proteja-seu-pendrive-contra-pragas.html